segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

espelho



oswald de andrade embrenhou-se no breu pela viagem e me deixou esta miragem no espelho 


Espelho

o sol quebrou a barra
hoje de manhã
no espelho uma maçã
em carne e osso
a carne exposta a mesa
na fruteira
ali meus dentes
e os ponteiros do relógio
que não param
meus olhos atravessados
ela nua
e a língua sedenta
do teu sexo


Oswald de Andrade

Nenhum comentário:

Postar um comentário