quinta-feira, 19 de março de 2015

stella ainda passeia direto na veia como vício de amor não saciado


hoje fotografando na praia conheci Stella, uma inglesa moradora da Rocinha. apesar de não falar meu idioma e nem eu o dela apossou-me enorme euforia ao perceber que ela faz física na PUC e ama poesia. nosso diálogo se completou pelos gestos dos pés a boca, passando pelas mãos pernas e braços. as 13 enquanto caminhávamos filmei o ritmo dos seus passos em direção ao ponto de ônibus, nos despedimos ali com um beijo e fui dar aulas em São Conrado como todos os dias faço

Federico Baudelaire

Nenhum comentário:

Postar um comentário