quinta-feira, 19 de março de 2015

a minha vida é um sarro


A minha vida é um sarro
levo a sério pra valer

não sei o que é comer coxinha
prefiro tuas coxas de carne farta
quem quiser que coma a marta
não tenho medo da morte
com fome como até joana a dark
atrás do trio no parque
não tenho medo da rua
minha CARNE VIVA é crua
meu couro é cozido pelo sol da praia
tenho o rabo da arraia
nas transas do cutuvelo
na Aldeia de Arcozelo
o meu tambor é de barro
a minha vida é um sarro
levo a sério pra valer
o gozo bom é de graça
não pago pra ter prazer

Federico Baudelaire

Nenhum comentário:

Postar um comentário