sexta-feira, 12 de julho de 2013

a traição das metáforas

até a estátua de drummond cora de vergonha


A Traição das Metáforas

em canibália city rufam-se os tambores no terreiro universal convocando para o reinado de momo lady gumes a deusa das relações e federika bezerra a porta bandeira da mocidade independente de padre olivácio - a escola de samba oculta no inconsciente coletivo.

os tambores rufam seus batuques enquanto em assembléias também ali em frente cordeiros gritam seus demônios contra o vento

estou ao lado de um lixódromo na av. alberto lamego bem em frente ao cepop sobrevoado por carcaças e restos de alegorias carnavalescas como moscas em fim de feira farejando frutas podres.

há urubus no telhado a carne seca é servida um escorpião encravado na sua própria ferida - não escapa - só escapo pela porta de saída (torquato neto)

de repente não mais que de repente baixa um santo - vindo não sei de onde eis que surge osório peixoto - em carne osso e espírito santo - pra me dizer que conhece a rosinha desde os tempos em que ela puxava o boi-pintadinho pelas ruas de campos ex-dos goytacazes lá pelos idos de 1980.

helena ortiz testemunhara ontem por e-mail inteiro que campos ex-dos goytacazes é o fiel retrato da barbárie.

Osório do além túmulo não se conforma confessa que aquilo ali é um horror imitação pura, imitação é falta de criatividade, e toda civilização sem criatividade está propensa a ser tragada na lama do canal.

federico baudelaire
in canibália city - o prostíbulo federal
www.federicobaudelaire.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário