segunda-feira, 30 de julho de 2012

língua metralha



o beijo - rodin

as folhas verdes balançam a minha frente
ao lado barracas vermelho amarelas
estampam skol itaipava
as ondas do mar despejam espuma na areia da praia
enquanto pessoas comem camarão com cerveja
despidas de seu panos
eu tenho planos de escrever no recife um atentado
poético com certeza
há tempos deixei a ética de lado
como políticos safados no palácio do senado
na câmara dos deputados
nas assembleias dos estados
nos governos das prefeituras
como insana criatura minha língua metralha
no centro do olho da bandalha
que a cada eleição mais se espalha
e o próprio povo permitiu
eu quero mais minha navalha
apontada pra puta que o pariu

federico Baudelaire

Um comentário: