sexta-feira, 20 de maio de 2011

poema de 7 foices


como preservar a Amazônia
como exterminar a miséria
se as 7 patas de Vênus
cavalgam a besta do planalto
poema de 7 foices
atrás da face anticristo
e nos palácios os crápulas
com suas caras de vidro
defendem os pastos de soja
devastam florestas pra búfalos
cada qual com o seu manto
esfarrapado dos partidos
nunca vi tanto canalha
no mesmo espaço  reunidos



Rio in chamas

meu labirinto solto na vertigem da tarde
tudo enquanto arde do outro lado do dia
não  tenha medo sempre haverá poesia

artur gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário